Morro de São Paulo várias pousadas em chamas!!!!


O restaurante Cantina do Morro, localizado na Rua da Prainha, em Morro de São Paulo, no município de Cairu, pegou fogo no início da tarde desta quinta-feira (12). O motivo do incêndio ainda é desconhecido.

De acordo com informações obtidas , não há unidade do Corpo de Bombeiros na localidade. O atendimento é feito por um grupamento localizado na cidade de Santo Antônio de Jesus. Segundo leitores, dois caminhões com água chegaram ao local e populares tentam apagar as chamas.

Populares temem que o fogo se espalhe para outros estabelecimentos. Leitores do site filmaram a situação. Até o momento não há informações sobre feridos. Polícias civil e militar estão no local

Roubo em banco do Corredor da Vitória não tem relação com crime na Calçada, diz Polícia


A tentativa de roubo que aconteceu na manhã desta quarta-feira (11), em uma agência do banco Santander, no Corredor da Vitória, não tem relação com o roubo a uma unidade do mesmo banco no bairro da Calçada, em Salvador, na terça (10). Pelo menos é o que acredita o Departamento de Repressão e Combate ao Crime Organizado (Draco).

Dois dos suspeitos de participarem do crime nesta manhã foram apresentados à imprensa nesta tarde. Com a dupla, a polícia conseguiu apreender uma pistola, um revólver e ainda recuperou um colete balístico e três revólveres levados da equipe de segurança do banco e celulares dos funcionários.

Outros três homens que também participaram do crime, conseguiram fugir, no entanto, a polícia vai usar imagens das câmeras de segurança do lado de fora da agência para a identificação.

“Importante frisar o grande trabalho que nós estamos fazendo desde o ano passado de combate a roubos de bancos. Hoje, graças a ação eficiente das equipes da PM e PC, conseguimos evitar a investida”, disse o delegado do Draco, Paulo Guimarães.

PF diz que gravações de Joesley ‘abalaram o Brasil’.


Relatório da Polícia Federal que embasou denúncia contra Joesley e Wesley por uso de suas delações premiadas para obter vantagens indevidas no mercado financeiro detalha como os executivos supostamente usaram informações que ‘abalaram o Brasil’ para lucrar sobre os impactos do noticiário sobre a Bolsa de Valores e o câmbio.

Os procuradores da República Thaméa Danelon e Thiago Lacerda Nobre, do Ministério Público Federal, em São Paulo, denunciaram à 6 Vara Federal os irmãos Joesley e Wesley Batista, na Operação Acerto de Contas, desdobramento da Tendão de Aquiles, por uso de informação privilegiada e manipulação do mercado.

Joesley Batista está preso desde 10 de setembro, por ordem do ministro do Supremo Edson Fachin, em razão do descumprimento do acordo de delação. Três dias depois, Wesley foi encarcerado na Acerto de Contas, pela prática de insider trading.

Para o Ministério Público Federal, em São Paulo, os irmãos “minimizaram prejuízos mediante a compra e venda de ações e lucraram comprando dólares c base em informações que dispunham sobre o acordo de delação premiada que haviam negociado com a Procuradoria-Geral da República”.

Um dos documentos que embasaram a denúncia contra os executivos foi o Relatório da Polícia Federal que atribuiu a ambos o uso da delação para vantagens indevidas no mercado Financeiro.

No capítulo em que detalha o contexto da colaboração premiada, o delegado da PF em São Paulo, que subscreve o documento, Edson Garutti, afirma que, após iniciar as tratativas para delação, no início de março de 2017, o empresário Joesley Batista gravações que “abalaram o Brasil”.

As gravações às quais a PF se refere são aquelas que, aliadas às ações controladas da PF, embasaram a deflagração da Operação Patmos, no dia 18 de maio. Naquela data, foram presos o primo do senador afastado Aécio Neves (PSDB-MG), a irmã do tucano, Andrea Neves e foi negada a solicitação de encarceramento do próprio parlamentar. As investigações que se tornaram públicas naquele dia também revelaram um áudio gravado por Joesley Batista no Palácio do Jaburu em que o executivo relatava supostos crimes como a compra do silêncio de Eduardo Cunha e o pagamento de um mensalinho a um integrante da força-tarefa da Operação Greenfield.

Naquele dia, o dólar teve forte alta e o índice Bovespa caiu.

A PF destaca que os delatores sabiam de que “o conteúdo deste procedimento legal ganharia publicidade e, no dia em que isso acontecesse, geraria forte impacto no mercado de capitais”.

Defesas

J&F

“A JBS informa que não teve acesso ao relatório da PF e reitera que as operações de recompra de ações e derivativos cambiais em questão foram realizadas de acordo com perfil e histórico da Companhia que envolvem operações dessa natureza. Tais movimentações estão alinhadas à política de gestão de riscos e proteção financeira e seguem as leis que regulamentam tais transações.

Conforme demonstra estudo da Fipecafi sobre o tema:

havia subsídios econômicos para a estratégia de derivativos cambiais adotados pela companhia;

operações com derivativos fazem parte da rotina operacional da empresa;

as recompras efetuadas pela JBS em 2017 são normais quando comparadas às do período imediatamente anterior; ação da JBS estava ‘barata’ e não há evidências de que o preço se comportou de forma distinta nos dias de recompra pela empresa.”

O advogado Pierpaolo Bottini, que defende os irmãos Batista, disse que ainda não teve acesso ao relatório final da Operação Acerto de Contas. O espaço está aberto para a manifestação.

 

Fonte:Varela Noticias

Fachin rejeita ação de Lula que pedia anulação de grampos autorizados por Moro.


O ministro do Supremo Tribunal Federal (STF), Edson Fachin, negou seguimento – julgou inviável – à Reclamação 24619, ajuizada pela defesa do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva com o objetivo de anular grampos telefônicos autorizados pelo juiz Sérgio Moro, da 13.ª Vara Federal de Curitiba e que captaram em março de 2016 diálogos entre o ex-presidente e autoridades com prerrogativa de foro no Supremo, como a então presidente Dilma, na Operação Lava Jato.

A defesa alegou usurpação da competência do Supremo afirmando que Moro teria emitido juízo de valor sobre as conversas, além de autorizar o levantamento do sigilo das interceptações e o uso dos diálogos em inquéritos policiais.

Ao negar seguimento à reclamação, o ministro Fachin afirmou que a investigação “não está direcionada a agentes detentores de prerrogativa de foro”.

“A mera captação de diálogos envolvendo detentor de prerrogativa de foro não permite, por si só, o reconhecimento de usurpação da competência da Corte”, afirmou o ministro.

Segundo Fachin, é “indispensável, em verdade, o apontamento concreto e específico da potencial aptidão da prova de interferir na esfera jurídico do titular da referida prerrogativa”.

Ele acrescentou que não é caso de se fazer, por meio de reclamação, uma “aguda análise de fatos e provas, na hipótese em que o reclamante não aponta, de modo seguro, a potencial participação ativa do titular da prerrogativa nos fatos em apuração”.

Para Fachin, a alegação de que os agentes detentores de prerrogativa de foro terão seus diálogos devassados por todos aqueles que tiverem acesso a tais procedimentos constitui tema alheio à reclamação, por não estar relacionado à competência da Corte.

“Se referidos agentes públicos não figuram como alvo da investigação, cabe ao juízo singular avaliar e, sendo o caso, zelar pelo sigilo das provas que guarnecem o acervo sob sua supervisão.”

Fachin acrescentou ainda que Moro “observou decisão do Plenário do Supremo na Reclamação 23457, que invalidou as interceptações captadas após o término da ordem judicial”.

Carro capota na Avenida Paralela após colidir com outro veículo


 

Na manhã desta quinta-feira (12), um carro acabou capotando na Avenida Paralela, Salvador, sentido aeroporto, após colidir com outro veículo.O acidente aconteceu na altura do Centro Administrativo da Bahia (CAB) e o carro foi parar no canteiro central.O motorista do veículo ficou ferido e o Serviço de Atendimento Médico de Urgência (Samu) foi acionado. Ainda não há informações sobre a identidade e o estado de saúde da vítima.

 

Fonte:Varela Noticias

PREFEITURA DISCUTE EM AUDIÊNCIA PÚBLICA MELHORIAS NA FEIRA MUNICIPAl.


 

A Prefeitura de Entre Rios, através da Secretaria Municipal de Agricultura, promoveu na última terça feira, dia 10 de outubro, audiência pública para apresentar o projeto de padronização e modernização da feira livre. Com o objetivo de valorizar a feira nos seus aspectos de conforto, higiene e atração de novos consumidores o que irá impulsionar as vendas e tornar o espaço um local de convívio social.

Na oportunidade, os feirantes aproveitaram para reivindicar melhorias na segurança da feira como também fizeram diversos questionamentos, principalmente sobre o impacto financeiro que irá causar aos comerciantes.

Estiveram presentes barraqueiros, comerciantes do entorno da feira, parte da população, Vice Prefeito Cézar Pimenta, Secretário de Agricultura Linaldo de Castro, Secretário de Obras e Urbanismo Dr. Roberto Rocha, Procurador Geral do Município Dr. Alex Paulo, Senhora Secretária da Mulher Simone Almeida, Senhores Secretário de Turismo e Meio Ambiente Abel Fonseca, Secretário de Transporte Nelson Souza, Chefe de Gabinete José Alberto Júnior, Dr. Paulo César Promotor de Justiça, Comandante Ivan Paulo da Polícia Militar, além dos Vereadores Filipe Argolo, Alex Cebola e Israel Lobato.

Nova audiência pública será realizada para novas discursões desse projeto.