Em dia violento, Macaé, RJ, tem PM assassinado, suspeitos baleados e ônibus incendiados


Escolas foram fechadas e o serviço de transporte público foi interrompido após pelos menos quatro ônibus serem incendiados.
Em um dia violento, marcado por confrontos entre policiais e criminosos, a cidade de Macaé, no interior do Rio, teve um policial assassinado, suspeitos baleados e ônibus incendiados nesta terça-feira (9).

As escolas do bairro Lagomar, onde o policial militar foi baleado, foram fechadas, e o serviço de transporte público foi interrompido após pelos menos quatro ônibus serem incendiados.

Cerca de 100 policiais militares estão trabalhando em uma operação contra criminosos ligados ao tráfico de drogas no Lagomar, no Centro e no bairro Aroeira. Até a tarde desta terça, cinco pessoas baleadas deram entrada no Hospital Público de Macaé (HPM), sendo que dois já receberam alta e foram encaminhados por policiais militares para a 123ª Delegacia Legal da cidade.

 

Segundo o comando do 32º Batalhão de Polícia Militar de Macaé, a cidade recebeu reforços dos batalhões de Campos dos Goytacazes, Itaperuna e Santo Antônio de Pádua, além de dois helicópteros.

Policiais do Batalhão de Policia Rodoviária (BPRv) e da Polícia Rodoviária Federal (PRF) patrulham as estradas e agentes da Polícia Federal (PF), ajudam nas buscas e no cerco aos criminosos.

PM morto em confronto

O cabo José Renê Araújo Barros, de 35 anos, lotado no batalhão da PM de Macaé, morreu após ser atingido na cabeça em uma troca de tiros na manhã desta terça-feira.

A família do policial está em Macaé e acompanha a liberação do corpo. O enterro será nesta nesta quarta-feira (10) em Itaperuna, Noroeste Fluminense, cidade natal do pm baleado.

O Disque Denúncia divulgou um cartaz oferecendo R$ 5 mil de recompensa para quem tiver informações que ajudem a esclarecer a morte do policial.

 

G1

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Aragão Notícias.
É vedada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O Aragão Notícias pode até retirar, sem prévia notificação, comentários ofensivos e com xingamentos e que não respeitem os critérios impostos neste aviso.