Nova ministra da Agricultura rejeita Funai e sugere ida para o Planalto


Continua sem solução o imbróglio que envolve o destino da Funai, a partir de 1º de janeiro, quando começará a era Bolsonaro. A futura ministra da Agricultura, Tereza Cristina (DEM-MS), teve sua pasta cogitada para acolher as causas dos primeiros habitantes do País, mas passou a ser mais uma a recuar da missão.

Imagem Ilustrativa

Para Tereza Cristina, uma secretaria especial, vinculada à Presidência da República, deve ser criada para cuidar dos direitos dos indígenas no próximo governo. Ela defende que seria muito administrar no mesmo ministério o conflito entre os interesses dos produtores rurais e dos povos indígenas, foco de atritos constantes nos últimos anos.

Buscando solucionar o problema, o Ministério Público, através do coordenador do grupo relacionado aos interesses em questão, promete recorrer ao ao Supremo Tribunal Federal se a Funai for transferida para a Agricultura. Para ele, a mudança seria uma violação da Constituição, que garante respeito às tradições indígenas.

Aratu Online

Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Aragão Notícias.
É vedada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O Aragão Notícias pode até retirar, sem prévia notificação, comentários ofensivos e com xingamentos e que não respeitem os critérios impostos neste aviso.