Novo padrão de placas começa a ser usado no Brasil


Sistema unificado com outros países do Mercosul começará a ser adotado no Rio de Janeiro sem custo adicional

 

As novas placas possuem visual similar ao adotado na União Europeia (Detran/RJ/Divulgação)

Depois de idas e vindas, a nova placa para os países do Mercosul finalmente começará a ser usada no Brasil. Um repentino comunicado do Detran do Rio de Janeiro confirmou a estréia do sistema a partir do último dia (11/09).

O Estado fluminense será o primeiro a usar as novas placas no país. Segundo o órgão, elas terão o mesmo custo da placa atual (R$ 219,35).

A Argentina já usa o padrão de placas do Mercosul (Divulgação/Fiat)

Inicialmente as novas placas serão usadas em veículos novos ou em automóveis que tiverem as placas atuais danificadas ou passarão por troca de categoria, transferência de proprietário, município ou estado.

Quem não se enquadrar nesses quesitos também poderá fazer a mudança voluntariamente, bastando pagar as taxas atuais.

O que muda

A principal mudança da nova placa está no padrão visual, que será sempre com fundo branco e uma faixa azul na parte superior. O que vai definir a categoria do veículo serão as cores das letras e números (veja mais acima).

A sequência também foi alterada. O sistema atual, com três letras e quatro números (AAA-0000) dará lugar a um com quatro letras e três números (AAA0A00).
Reprodução/Internet

A plaqueta que identifica o estado e o município de registro também será aposentada. Em seu lugar haverá somente a inscrição “Brasil”.

Dois brasões irão identificar o município e o estado do automóvel, com o nome da cidade escrito em uma fonte menor sob o logotipo.

As novas placas terão mais mecanismos de proteção, com itens de segurança similares ao usados em cédulas. Um QR Code e um chip permitirão a rastreabilidade da placa por todos os países do Mercosul e dificultará a clonagem.

Quatro Rodas

Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Aragão Notícias.
É vedada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O Aragão Notícias pode até retirar, sem prévia notificação, comentários ofensivos e com xingamentos e que não respeitem os critérios impostos neste aviso.