Delegacia de Alagoinhas continua daquele jeito


Com o calor infernal que vem fazendo nos últimos dias na cidade Pórtico de Ouro do Sertão da Bahia, trabalhar no plantão da 1ª DT a antiga sede da 2ª Coorpin virou quase uma missão impossível.

Sensação térmica de mais de 40 graus, isso mesmo sensação térmica de mais de 40 graus, é o que vem enfrentando os agentes que trabalham no plantão, e as pessoas que necessitam fazer os seus registros de ocorrências etc.

Não é de hoje que estamos denunciando o descaso para com esta situação, onde a colocação de um ar condicionado e algumas portas de vidro, traria a dignidade aos servidores que passam momentos de sufoco em seus plantões.

As pessoas que também necessitam ir aquela casa, sofrem com a falta de estrutura do governo em nossa cidade.  Até água para beber, e água nos sanitários às vezes falta.

Recém inaugurado quem trabalha no Disep esta em céu de brigadeiro, o mesmo acontecendo na nova Delegacia da Mulher, mas atrás do balcão da 1ª DT é fazer estágio para entrar no inferno.

Lembrando que na sala do coordenador tem ar, a mesma coisa acontecendo no cartório e na sala do delegado plantonista, mas na recepção o aparelho existe, porém fica apenas pendurado na parede.

Carceragem:

Nossa delegacia já foi palco de muitas fugas, motivo de chacota na imprensa, nos meios de comunicação nas resenhas em geral, raro era a semana que não existiam fugas.  Há pouco tempo um meliante subiu à carceragem e resgatou um comparsa,  um outro meliante tentou a mesma prática e acabou se dando mau.

Depois da grande repercussão negativa,  houve uma mobilização entre as autoridades, e a carceragem que tem capacidade para pouco mais de 40 detentos e já chegou a abrigar cerca de 110 presos, no ano passado acabou  acontecendo uma grande transferência, diminuindo consideravelmente tal numero, hoje ficando na variação de 20 a 25  detidos.

Paredes rachadas, grades que não suportam mais nem se quer um balanço, ambiente totalmente insalubre, estas são as condições da carceragem, algo absurdo para  os dias de hoje, e para uma cidade tão pujante como Alagoinhas,  tão perto da capital.

Entrevista do governador

Na semana passada o governador Rui Costa em visita ao município vizinho de Aramari, concedeu uma entrevista ao colega Reinaldo Silva, que ao ser indagado pela questão da violência na cidade, este de imediato não concordou com a fala do repórter, e disse que o seu governo foi o que mais investiu na segurança pública.

De fato tivemos a formatura de cerca de 3 mil novos soldados, só em Alagoinhas foram cerca de 77, mas problemas simples como o de um ar condicionado que é denunciado a um bom tempo não é resolvido, e falando em violência, os proprietários de barzinhos, principalmente os dos bairros, estão amargurando sérios prejuízos que o diga à noite.

Para se ter uma idéia a cerca de 15 dias tivemos um assalto a um barzinho na Urbis do Petrolar, que rendeu aos meliantes cerca de 20 celulares de uma só vez.

Números

A PM apresentou na voz do seu comandante o TC Reginaldo Moraes um balanço dos últimos seis meses, onde mais de 140 armas foram retiradas de circulação neste período, um número até bem significativo, mas infelizmente a população ainda se sente insegura, andar na rua a pé, é sinônimo de loteria, ou seja tudo pode acontecer.

Claro que grande culpa de toda esta nossa insegurança é o nosso código penal ultrapassado, pessoas que são detidas pela manhã na maioria das vezes à tarde já estão de volta às práticas criminosas.

Enfim pedimos aos nossos representantes junto ao Governo do Estado, que se empenhem mais por conta dos votos conquistados, pois o povo acaba achando que os senhores não estão nem ai para eles.

No mais é pedir a São Pedro que mande logo uma chuva, para amenizar tamanho calor.

SuperVia será investigada por colisão de trens com nove feridos


A concessionária que opera o sistema de trens da região metropolitana do Rio de Janeiro, SuperVia, será investigada pela colisão envolvendo dois trens na zona norte da capital. Em nota, a Agência Reguladora de Serviços Públicos Concedidos de Transportes Aquaviários, Ferroviários e Metroviários e de Rodovias do Rio de Janeiro (Agetransp) informou que abriu um boletim de ocorrência e enviou equipes técnicas ao local.

“Equipes técnicas foram enviadas à estação para fazer o levantando de local do acidente. Além das causas da colisão, também será objeto de análise pela agência reguladora a adequação do atendimento prestado aos usuários pela concessionária SuperVia e dos procedimentos adotados para o restabelecimento da normalidade na operação comercial dos trens. A concessionária poderá ser multada”.

Dois trens bateram na Estação de São Cristóvão, na Zona Norte do Rio de Janeiro, na manhã desta quarta-feira

O governador do Rio de Janeiro, Wilson Witzel, também afirmou na manhã de hoje que a Secretaria Estadual de Transportes vai investigar o caso.

“É um acidente lamentável. O que aparentemente demonstra que houve um grave erro da empresa. A empresa será devidamente investigada, e as providências serão tomadas, multas aplicadas e tudo o mais que for necessário. Não pode acontecer de novo e não vai acontecer novamente”, disse o governador.

O acidente deixou nove pessoas feridas. Sete vítimas foram encaminhadas com ferimentos leves para o Hospital Municipal Souza Aguiar, e outra foi para o Hospital Salgado Filho. O maquinista ficou preso às ferragens e bombeiros trabalham para resgatá-lo.

Segundo a Supervia, um trem com passageiros que seguia da Estação Central para Deodoro chocou-se contra a traseira de um trem que estava sem passageiros na estação São Cristóvão. O acidente afetou o fluxo dos trens no ramal Deodoro. }

Agência Brasil

João Neto brilha e comanda virada do Atlético de Alagoinhas sobre o Vitória


Triunfo coloca Carcará na briga por uma vaga no G-4; Leão perde a chance de escapar na classificação

Artilheiro do Campeonato Baiano, o atacante João Neto mostrou seu cartão de visita aos torcedores rubro-negro e, com dois gols, comandou a virada do Atlético de Alagoinhas sobre o Vitória por 2 a 1 nesta quarta-feira (27), em duelo válido pela sétima rodada do Campeonato Baiano. Andrigo, aos 16 da primeira etapa, descontou para os donos da casa.

Foto: reprodução/ Premiere

Com o resultado, a equipe comandada por Arnaldo Lira assumiu a quinta posição da tabela e entrou na briga por uma vaga no G-4, com 10 pontos. Já o Leão viu a chance de se isolar na liderança da competição escapar.

Agora, as duas equipes entram em recesso carnavalesco. O time comandado por Marcelo Chamusca recebe o Botafogo-PB somente no dia 7 de março, uma quinta-feira, no Barradão, pela quinta rodada da Copa do Nordeste. Já o Atlético de Alagoinhas visita o Jacobina no José Rocha, no dia 10 de março, um domingo, em confronto válido pela penúltima rodada da primeira fase do Baianão.

Jogo

Em busca da liderança isolada do Baianão, o Vitória tentou impor o mando de campo logo nos minutos iniciais e quase inaugurou o placar em duas oportunidades. Primeiro, Neto Baiano entrou na área e soltou a bomba que exigiu boa defesa do goleiro Diego. Instantes depois, Matheus Rocha fez ótimo lançamento para Benítez, que bateu para fora. Aos 16 minutos, o Leão não perdoou. Após rápido contra-ataque, Matheus Rocha cruzou para Andrigo e ele emendou para o fundo do gol. Um a zero. Em resposta, o Atlético pressionou com Leandro Sobral, com um belo chute de fora da área, e João Neto. O artilheiro da competição pegou a sobra do lance confuso e cabeceou para o gol, mas Thalles tirou em cima da linha. Fim do primeiro tempo.

O segundo tempo do duelo foi marcado pela falta de criatividade. A primeira chance clara de gol saiu somente aos 16 minutos. João Neto arriscou de fora da área, mas Ronaldo defendeu. Após um deserto de ideias, o artilheiro do Campeonato Baiano resolveu brilhar. Aos 32, Patrick lançou na área e João Neto, sempre ele, cabeceou para o fundo da rede. Tudo igual. Seis minutos depois, o atacante apareceu novamente. Ele pegou a sobra do escanteio e mandou um torpedo para o gol. Virada no Barradão.

FICHA TÉCNICA:
Vitória x Atlético de Alagoinhas – Campeonato Baiano (7ª RODADA)

Data: 27 de fevereiro de 2019 (quarta-feira)
Horário: 20h30
Local: Barradão, em Salvador
Árbitro: Irinaldo Jorge dos Santos Silva
Auxiliares:  Jucimar dos Santos Dias e Daniella Coutinho Pinto

Vitória: Ronaldo; Matheus Rocha, Thales, Edcarlos e Benítez; Léo Gomes, Rodrigo Andrade (Eron) e Andrigo; Erick (Cléber), Léo Ceará e Neto Baiano (Juninho). Técnico: Marcelo Chamusca

Atlético de Alagoinhas: Diego; Ed, Bremer, Iran (Patrick Justino) e Allyson Santos; Leandro Sobral, Hércules (Alessandro Azevedo), Guto, Gabriel Esteves (Gabriel Jordan); Peixoto e João Neto. Técnico: Arnaldo Lira

Cartão Amarelo: Marcelo Benítez, Léo Gomes, Rodrigo Andrade e Léo Ceará (Vitória); Allyson Santos., Leandro Sobral e Gabriel Esteves (Atlético)

Varela Notícias

Bolsonaro e Guaidó reúnem-se nesta quinta-feira no Palácio do Planalto


Encontro não terá formalidades de visita de Estado

O presidente Jair Bolsonaro receberá Juan Guaidó, autoproclamado presidente interino da Venezuela, nesta quinta-feira (28), às 14h, no Palácio do Planalto. O encontro foi confirmado pelo porta-voz da Presidência, Otávio do Rêgo Barros. Apesar de o Brasil reconhecer Guaidó como presidente interino da Venezuela, o encontro não será tratado como uma visita de Estado.

De acordo com Rêgo Barros, Guaidó fica na Base Aérea de Brasília após sua chegada, por volta da meia-noite. Ele será recebido pelo ministro das Relações Exteriores, Ernesto Araújo, responsável por acompanhá-lo durante a visita. O encontro com Bolsonaro não terá formalidades de chefe de Estado. O presidente receberá Guaidó em seu gabinete.

Venezuela, Juan Guaidó

 

“O presidente abriu sua agenda para recebê-lo no Planalto, cumprimentá-lo. E o prosseguimento dessa visita e aquilo que venha a ser tratado estará sob a batuta do ministro Ernesto. Ele [Guaidó] não será recebido com as formalidades, será recebido diretamente no gabinete do presidente”, disse o porta-voz.

No mês passado, o Tribunal Supremo de Justiça proibiu Guaidó de deixar o país e congelou suas contas. A Corte atendeu a um pedido do procurador-geral da Venezuela, Tarek William Saab, aliado do presidente Nicolás Maduro. Apesar da decisão judicial, o presidente interino foi à Colômbia para articular a entrega de ajuda humanitária e prometeu retornar à Venezuela em breve.

O porta-voz da Presidência não informou se Guaidó voltará ao seu país pelo Brasil ou se o governo federal ajudará o venezuelano no retorno.

Violência

Nos últimos dias, o clima de confronto dominou a região fronteiriça da Venezuela com o Brasil e a Colômbia. Por ordem de Maduro, a fronteira com o Brasil foi fechada. Houve dificuldades para o transporte da ajuda humanitária internacional com registros de mortos e feridos. Segundo relatos, militares venezuelanos atiraram na direção de civis desarmados.

Para Maduro, há uma orquestração internacional, liderada pelos Estados Unidos e Colômbia, com o objetivo de promover uma intervenção na Venezuela. Ele e aliados negam a existência de crise humanitária no país.

 

Agência Brasil

Paula Fernandes recebe críticas após comentário ao vivo na Globo


Comentário da artista aconteceu quando o assunto era violência obstétrica contra mulheres na hora do parto

A cantora Paula Fernandes desagradou parte do público do “Encontro com Fátima Bernardes” ao dizer que as mulheres são “sensíveis por natureza”, na manhã desta quarta-feira (27).

Fotos: Reprodução / TV Globo

O comentário da artista aconteceu quando o assunto era violência obstétrica contra mulheres na hora do parto. Diante de depoimentos de vítimas desta violência, Paula Fernandes se disse chocada e opinou.

“Eu estou chocada, porque, embora eu não tenha filhos, em penso em ter. A mulher já é sensível por natureza, né? Então obviamente chega esse momento delicado de você colocar uma vida no mundo”, falou. “Você está arriscando a sua vida, a vida do bebê e ser tratada dessa forma. Eu fiquei chocada com os depoimentos”, completou.

Nas redes sociais, mulheres rebateram a artista. Veja alguns comentários:

 

Bahia.ba

 

Publicitária denuncia ex-namorado por violência doméstica: ‘Ele queria colocar fogo em mim’


Após três ocorrências de violência física e cerca de quatro anos de violência psicológica, a publicitária e estudante de Design Silvia Pacheco denunciou o agora ex-namorado, o engenheiro mecânico Carlos, pelas agressões. O estopim foi no último domingo (24), quando ele teria arrombado a porta da casa em que os dois moravam, batido nela e sugerido que ia tocar fogo na mulher ao despejar uísque no cabelo dela e pegar uma caixa de fósforos.

Em entrevista ao Bahia Notícias, Silvia conta que após terminar com ela pela 13ª vez nos últimos nove meses, no sábado (23), Rosa voltou ao apartamento dos dois, no bairro da Pituba, no dia seguinte, para buscar sua mala. Como achou que a mulher demorou a abrir a porta, ele teria arrombado o apartamento e dado início à série de violências.

Foto: Reprodução / Instagram Silvia Pacheco

“Dava pra ver claramente que ele estava alcoolizado. Ele estava bravo porque eu falei pra ele que era importante eu ter minha própria advogada pra fazer a separação e ele está com ciúmes de mim, tanto que na hora ele falou: ‘você está vestida pra sair como se fosse encontrar alguém. Fala pra mim, você encontrou alguém?'”, conta Silvia.

Não satisfeito com as respostas da ex, que pretendia sair para encontrar uma amiga, Rosa teria partido para as agressões físicas. “Ele já veio com uma porrada nas minhas costas, comecei a gritar, a correr, aonde eu tentava me esconder, ele arrombava a porta. Teve uma hora que eu peguei o celular, fui filmá-lo, foi quando ele jogou meu corpo no chão, travou minhas pernas com as dele, me deu uma gravata e começamos ali uma luta corporal”, detalha.

O resultado dessa briga foram vários hematomas nos braços, costas e cotovelo e a casa destruída, como ela registrou em postagem no Instagram.

 

Diante da dimensão da briga, os vizinhos do ex-casal ouviram os gritos e pedidos de socorro de Silvia até que um deles conseguiu socorrê-la. Como as portas estavam arrombadas, após cerca de duas horas de violência, ela conseguiu correr para a casa desse vizinho até que uma guarnição da Polícia Militar chegou e levou o ex-casal para a Delegacia da Mulher, em Brotas.

A DENÚNCIA

Surpresa, Silvia conta que não foi acolhida da maneira esperada na unidade policial. De acordo com ela, a delegada Larissa Lage de Barros descredibilizou seu depoimento, disse que ela não poderia realizar o exame de corpo de delito naquele horário – o Boletim de Ocorrência (B.O.) foi registrado por volta das 19h – e logo depois dispensou Rosa.

“Ela não colocou no B.O. que ele tentou me matar, só falou que estava alcoolizado e bateu em mim. Ele queria colocar fogo em mim”, acusa a vítima.

Procurada pelo Bahia Notícias, a assessoria da Polícia Civil afirma que a delegada expediu as guias de lesão e pericial e orientou que a mulher se dirigisse ao Departamento de Polícia Técnica (DPT) para realizar os exames. Em nota, a corporação ressalta que ela se recusou a deixar o celular na delegacia para que ele também fosse encaminhado à perícia. “A delegada representou por medidas protetivas, orientou Silvia a formalizar uma queixa-crime e a encaminhou para o Centro de Referência Loreta Valadares. Testemunhas foram intimadas, o autor foi interrogado e um inquérito será instaurado na Deam/Brotas para apurar o caso. Todas as medidas de polícia Judiciária foram adotadas”, diz em nota.

HISTÓRICO DE VIOLÊNCIA

Silvia e Carlos se conheceram em Brasília, quando ainda tinham entre 16 e 17 anos. Ela lembra que eles estudavam no mesmo colégio na época, mas o tempo passou, os dois seguiram rumos diferentes e só 30 anos depois se reencontraram no Facebook.

A partir daí, não demorou muito para que os dois passassem a morar juntos, há cerca de quatro anos. Ao longo desse tempo, ela ressalta que ele sempre foi “excessivamente ciumento” e deu diversas demonstrações de violência psicológica, colocando ela para baixo, a menosprezando e a comparando com sua ex-mulher, por exemplo.

Mas a primeira agressão física teria ocorrido em setembro de 2017, quando eles já haviam se mudado para Fortaleza.

“A primeira foi bem triste, foi bem traumatizante. Ele estava bravo comigo por bobeira, porque eu não tinha acordado cedo pra ir pra praia com ele. Então, ele foi, tomou muito champanhe – ele é alcoólatra, toma álcool com remédio tarja-preta – e voltou querendo brigar comigo. (…) Ele começou a me agredir verbalmente com termos chulos, me destratou. O terror psicológico foi tanto que eu corri pra sacada e falei: ‘vou me matar’. Aí ele ficou na cama, assistindo, dizendo: ‘pode pular, ninguém vai ter saudade de você'”, narra.

A publicitária acusa que, nesse momento, repensou a situação e decidiu que não iria tirar a própria vida, mas ele lhe pegou à força e tentou jogá-la da varanda do apartamento.

Na sequência, ela teria conseguido se desvencilhar, se refugiou no banheiro, onde quebrou um copo e tentou cortar os próprios pulsos, sendo supostamente mais uma vez violentada pelo então namorado.

“Eu estava sofrendo ali um show de horrores por quase duas horas. Ele arrombou a porta do banheiro e disse: ‘como você é burra, pega esse caco de vidro aqui que é mais afiado e você está cortando da maneira errada'”, dizia, antes de agarrá-la e bater sua cabeça contra a parede.

Segundo ela, foi só quando ameaçou chamar a polícia que ele a deixou sair, mas ela não teve coragem de seguir com a denúncia.

Como é comum em casos de violência doméstica, no dia seguinte à agressão, ele teria se desculpado, jurado amor e usado a bebida como pretexto para dizer que não se lembrava das agressões cometidas. “Eu falo que ele exercia um domínio sobre mim e bastavam palavras doces, amáveis, falasse pra mim: ‘eu te amo, você é tudo pra mim’…”, disse, contando o que a fazia insistir na relação.

Em dezembro daquele ano, o casal se mudou para Salvador. Ela conta que então, meses depois, a segunda agressão física aconteceu. Ela lembra que se incomodou com algo no celular dele e reclamou. A resposta imediata de Carlos foi virar de frente para a mulher e pegá-la pelo pescoço com força.

De acordo com a publicitária, passada a briga, mais uma vez, o engenheiro se desculpou, pediu perdão e Renata lhe deu uma nova chance.

Bahia Notícias

Previdência: Bolsonaro e líderes debatem eventuais mudanças na reforma


Segundo relatos dos deputados que estiveram no Palácio da Alvorada, o presidente está aberto a críticas e a mudanças na reforma

O presidente Jair Bolsonaro reuniu-se na terça-feira (26), durante quase três horas, com líderes de partidos na Câmara para discutir a reforma da Previdência. No encontro, eles trataram de eventuais mudanças na proposta enviada ao Congresso, sobretudo nas regras previstas para o Benefício de Prestação Continuada (BPC) e a aposentadoria rural.

Foto: Marcelo Camargo/Agência Brasil

“O que ele [presidente] deixou muito claro é que o Congresso vai ter a liberdade de propor essas alterações e que já há praticamente um sentimento inicial de que vai ter alterações na reforma da Previdência”, disse à imprensa o líder do PMN, Eduardo Braide (MA), após a reunião.

Segundo relatos dos deputados que estiveram no Palácio da Alvorada, o presidente está aberto a críticas e a mudanças na reforma.

“O presidente deixou claro que essa reforma não é dele, é do Brasil. E que temos a liberdade total para fazer as mudanças para tirar o Brasil da crise”, disse o líder do Podemos, José Nelto (GO). Também houve críticas ao aumento da idade mínima para os professores.

Participaram do encontro com Bolsonaro 22 deputados federais, além do ministro da Casa Civil, Onyx Lorenzoni. Segundo a deputada Joice Hasselmann (PSL-SP), na sexta-feira (1º), haverá uma reunião entre os líderes do governo e o núcleo político de Bolsonaro para afinar os detalhes da estratégia de articulação política sobre a reforma.

“É claro que, se há um descontentamento geral, a gente vai ouvir e vai discutir. O ministro Onyx diz que há pontos que precisam ser mais bem explicados, como na questão do BPC”, destacou Joice, que, ao deixar o Alvorada, informou que será a nova líder do governo no Congresso. Segundo ela, o anúncio foi feito pelo ministro Onyx Lorenzoni, na abertura da reunião.

Reforma para os militares

Os líderes também cobraram a entrega da proposta de reforma para os militares. Eles querem que a proposta já enviada pelo governo espere o texto sobre os militares para começar a tramitar. O martelo não foi batido sobre o assunto, mas a nova líder do governo no Congresso acredita que é possível entregar em breve o texto referente aos militares. “Pelo que estou ouvindo da equipe econômica, tudo está caminhando bem para que o texto chegue logo”, disse a deputada.

Debate com a sociedade

Os deputados também conversaram sobre a importância de se debater com a sociedade a necessidade de aprovação da reforma. “Foi dito pelo próprio presidente que ele se engajará diretamente na campanha e no convencimento. É isso que a gente espera. Se ele teve os votos, partimos do pressuposto que ele tem credibilidade para convencer as pessoas e, claro, debater o texto, abrir o canal com a sociedade”, disse o líder do PPS, Daniel Coelho (PE).

“A gente falou de estratégias de comunicação e há um consenso de que o melhor garoto propaganda é o presidente da República. É ele, com aquele jeitão que ele fez campanha, olhando no olho do povo. Ele já se comprometeu que vai fazer isso”, completou Joice Hasselmann.

Agência Brasil

Vereador João Henrique Paolilo apresenta indicação sobre questão da Zona Azul


O vereador João Henrique na seção desta terça feira dia 26, apresentou indicação para que a tarifa de R$ 20,00 reais cobrada pela empresa Eparq que esta explorando a zona azul,seja ao menos transformada em educativa até o dia 30 de março.
A medida de restituir os créditos é ineficaz e só penaliza mais uma vez o alagoinhense.

Que nem todo mundo tem tempo de ir na empresa para fazer a sua devida reclamação, no sentido de rever os seus créditos.
Além disso não a agentes o suficiente para fazerem as devidas cobranças, gerando grandes transtornos.

O parlamentar ressalta que as reclamações são inúmeras dos usuários, e que tal medida seria muito importante até que todos se acostumem na nova modalidade de estacionamento.

Cantor Léo Santana arrasta multidão na 3ª edição do Pipoco


Foliões se esbaldaram na 3ª edição do Pipoco, o ‘esquente’ do Carnaval de Salvador. Pelo segundo ano consecutivo, o evento foi embalado pelo cantor Léo Santana, que arrastou uma multidão durante desfile no circuito Orlando Tapajós (Ondina-Barra), na noite desta terça-feira, 26, terceiro dia de pré-Carnaval na orla da capital.

“Estou feliz por participar mais uma vez dessa festa. Será um termômetro para o carnaval. Por mim lançava todas as musicas novas hoje, sou ansiosos, típico de quem é taurino, mas a produção me segura e me polícia. Não tenho dúvida que faremos uma linda festa”, afirmou Léo Santana, em entrevista ao A TARDE.

O cantor brincou com uma lesão que sofreu no pé direito em uma partida de futebol. “Tive quatro desligamentos nos tendões, mas quando o agito começar no trio, vamos esquecer a dor. Vamos meter dança com o pé de ladinho”, riu.

Fãs

Se Léo Santana estava ansioso, os fãs estavam ainda mais. Lorena Costa roía as unhas e gritavam o nome do cantor. “Adoro Léo Santana. Não tem cantor que com a melhor suingueira. Vamos meter dança”, falou a estudante, moradora do bairro de Brotas.

Léo Santa recepcionou os fãs catando música nova, “O Dono da Zorra Toda”. A multidão foi ao delírio e seguiu o compasso do trio elétrico. O Farol da Barra é o palco final do arrastão.

“Estou com cheio de energia e alegria. Já é carnaval. Agora só paramos na quarta-feira de cinzas”, disse o estudante Caio Souza, que veio de Manaus (AM) curtir a folia momesca na capital baiana.

 

Roberto Aguiar | Foto: Adilton Venegeroles | Ag: A TARDE

Policiais civis ameaçam paralisar atividades por falta de pagamento das horas extras


Alguns policiais afirmam que não irão comparecer aos plantões de Carnaval

A pouco menos de dois dias da abertura oficial dos festejos do Carnaval de Salvador, agentes da Polícia Civil do Estado da Bahia ameaçam paralisar as atividades devido à falta de pagamento dos plantões extraordinários realizados pela categoria desde o mês de dezembro de 2018.

Foto: Polícia Civil / Divulgação

De acordo com o Sindicato dos Policiais Civis do Estado da Bahia, devido à falta de efetivo, bem como o aumento da demanda durante o verão, são elaboradas escalas de plantões extraordinários visando garantir a ordem e o atendimento ao público. Contudo, esses plantões têm ocorrido desde o mês de dezembro sem que os valores sejam pagos aos policiais.

Alguns agentes estão ameaçando não mais cumprir as escalas extraordinárias a partir desta terça-feira(26), até que a situação seja regularizada. Os policiais citam ainda que estão também escalados para os plantões de carnaval que ocorrerão na capital e também no interior. Entretanto, afirmam que não irão comparecer aos plantões, caso a situação não se regularize, prejudicando assim o carnaval em todo o Estado da Bahia.

Varela Notícias