Procuradores da Lava Jato pedem que eleitor vote em 2018 na agenda anticorrupção


Os procuradores da República que integram as forças tarefas da Operação Lava Jato em Curitiba, São Paulo e Rio de Janeiro se reuniram, hoje (27), na sede da Procuradoria da República no Rio de Janeiro, no centro do Rio, para avaliar as formas de atuação, tecnologias empregadas nas investigações e fatores que estimulam a corrupção no país. Ainda no encontro, também discutiram métodos de integrar as ações nas três cidades. Ao fim do evento, divulgaram um documento chamado de Carta do Rio, no qual apontam a necessidade do aperfeiçoamento da legislação no combate à corrupção no Brasil e incentivam a sociedade a acompanhar o desempenho dos parlamentares da atual legislatura e a incluir o critério da anticorrupção nas escolhas dos deputados e senadores que serão eleitos para o próximo Congresso. “Se a luta contra a corrupção depende essencialmente do Congresso, é preciso que a sociedade continue atenta aos movimentos dos atuais parlamentares, manifestando-se contra qualquer tentativa de dificultar ou impedir as investigações criminais de pessoas poderosas. Por fim, é crucial que, em 2018, cada eleitor escolha cuidadosamente, dentre os diversos setores de nossa sociedade, apenas deputados e senadores com passado limpo, comprometidos com os valores democráticos e republicanos e que apoiem efetivamente a agenda anticorrupção. Olhando o passado, não podemos descuidar do futuro”, afirmam. O documento indica que, desde 2014, a Lava Jato vem revelando que a corrupção no Brasil está bastante disseminada no modo de funcionamento do sistema político nas esferas federal, estadual e municipal e que cargos públicos de chefia são loteados por políticos e partidos para a arrecadação de propinas. Para os procuradores, o dinheiro que “enriquece criminosos e financia campanhas”, deturpa a democracia, gera ineficiência econômica, acirra a desigualdade e empobrece a prestação de serviços públicos. Os procuradores informam também na Carta do Rio, que o Ministério Público Federal continuará a defender a sociedade e a democracia brasileiras da “corrupção endêmica” do sistema político brasileiro. “Esse é o compromisso dos procuradores da Lava Jato, que não se acanharão com os ataques que vêm sofrendo de interesses atingidos pelas investigações. Contudo, o futuro da Lava Jato e a esperança no fim da impunidade histórica de poderosos no Brasil dependem do Congresso Nacional. Somente os parlamentares federais podem aprovar as leis necessárias para satisfazer os anseios da população por Justiça”.

Ocorrências Policiais


Metralhadora foi apreendida pela PM na noite de domingo

Policias do CETO, fazendo rondas na rua Dez de Novembro, deram voz de prisão em três rapazes, onde eles tentaram fugir homiziando-se numa residência, porém foram alcançados.

Com os mesmos foram encontrados celulares, drogas, dinheiro R$ 158,00 reais em moedas mais R$ 52,00 em cédulas, e uma metralhadora de calibre 22 de fabricação caseira com 14 munições intactas.

Os mesmos foram apresentados a autoridade policial onde as medidas cabíveis foram adotadas.

Dois assaltos marcaram o plantão do Disep ontem

 

  1.  O primeiro delito foi por volta das 5:30 da manhã na avenida Airton Sena, onde uma senhora foi assaltada por dois elementos que estavam em uma moto de cor preta, onde o carona com uma arma, a ameaçou de morte tomando a força o seu aparelho celular e quantia de R$ 100,00 reais.

  1. No segundo, já foi por volta das 8:30 na rua Conselheiro couto onde a vitima um rapaz foi abordado por dois elementos também de moto, só que modelo cinquentinha na cor preta.  Perdeu para dupla o seu aparelho celular.

Polícia Civil prende acusados da morte de musico


Na manha desta terça feira, o Si da Polícia Civil prendeu no conjunto Alagoinhas IV, dois homens, os quais são acusados da morte do musico Adriano Soares, fato que se deu no dia 16 de outubro deste ano, na localidade do coqueiral BR 101 ao lado de um motel.

São Eles: Pedro Rangel Marcial dos Santos e Felipe Araujo dos Santos.  Os policias cumpriram um mandato de prisão preventiva e busca e apreensã

Barroso diz que restrição do foro privilegiado deve valer também para governadores


O ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Luís Roberto Barroso disse na manhã desta segunda-feira, 27, que há uma “cultura da desonestidade” no Brasil. Entrevistado em evento promovido pela Revista Veja, Barroso afirmou que é preciso impor um choque a esse modelo, que dá à sociedade a impressão de que o crime compensa. Questionado sobre a restrição do foro privilegiado de parlamentares que respondem a processos criminais, o ministro comentou que o resultado do julgamento em curso no STF (já há maioria para a restrição) deverá ser aplicado também em instâncias inferiores, como os Superiores Tribunais de Justiça, que hoje julgam governadores. O julgamento foi suspenso por um pedido de vista de Dias Toffoli, mas, pelo entendimento de 7 dos 11 ministros, somente deverão tramitar na Corte processos de crimes cometidos no exercício do mandato e relacionados ao cargo. Barroso afirmou que o julgamento em questão não resultará em uma regra geral nem em um precedente oficial, mas, apesar disso, deve passar a ser aplicado de “alto a baixo”. “É a lógica que só deve haver foro para os fatos praticados no cargo e em razão do cargo. Presentes as mesmas circunstâncias, aplica-se a mesma lógica e, portanto, a mesma regra”, disse.”Em rigor não é um precedente, mas pode ser uma lógica argumentativa a ser seguida.” Para o presidente da República e ex-presidentes, Barroso afirmou que valem as mesmas regras, ou seja, o foro fica mantido, tanto para o atual, Michel Temer, quanto para os demais que respondem a processos criminais, como Dilma Rousseff, Luiz Inácio Lula da Silva e Fernando Collor. Sobre a atuação do STF, com posições distintas entre seus representantes, Barroso afirmou que considera normal as divergências. Sem citar nomes, disse ainda que a Corte tem cinco ministros que estão dispostos a combater a cultura oligárquica que existe no País. E que o Supremo, apesar de ter de atuar como um tribunal de primeira instância em função do foro privilegiado, tem atuado nas matérias de supra importância para a sociedade brasileira, como nos temas relacionados a direitos de homossexuais, índios, negros etc. Para Barroso, a judicialização da política é mais consequência de ações dos políticos do que da Justiça.

Araçás: PM resgata menino deixado trancado em casa pelos pais


Policiais Militares foram atender uma ocorrência, onde indicava que um garoto estava preso em casa,  e que os pais haviam saído deixando o menor a própria sorte.

Chegando à localidade de Dois Riachos, não foi difícil identificar o imóvel, pois o choro do incapaz era intermitente.

Um dos Policiais pulou o muro, tendo ação toda sido filmada  para servir de prova, casou houvesse alguma duvida, ou surgisse ali algum fato novo.

Com aparência de assustado, o garoto contou que tinha 6 anos, e que estava sozinho em casa, tendo os pais saído e deixado ele nesta situação de total vulnerabilidade.

Ainda segundo informações, os pais são vezeiros neste costume.  O garoto foi encaminhado ao conselho tutelar que adotou as medidas cabíveis.

Bairro em Feira de Santana é isolado pelo Exército, que tenta localizar arma roubada de militar


Uma ação na manhã desta segunda-feira (27) em Feira de Santana tenta localizar a arma de uma agente do Exército, roubada na última quinta-feira (23) em Amélia Rodrigues, na mesma região. A arma, uma pistola Beretta 9 milímetros, foi tomada por um grupo armado. Segundo o Acorda Cidade, nesta segunda, um mandado de busca e apreensão é cumprido em uma residência na Rua Juiz de Fora, no bairro Caseb. Por conta da ação, as ruas do bairro feirense foram isoladas. Dezenas de soldados em cerca de dez veículos participam da operação. Até a publicação desta reportagem, não havia registro de que a arma roubada tinha sido localizada. A pistola foi roubada quando quatro militares do 19º Batalhão de Caçadores faziam um trabalho em Amélia Rodrigues em apoio ao Departamento Nacional de Infraestrutura de transportes (Dnit). Neste fim de semana, uma operação também foi realizada em Santo Amaro para tentar localizar a arma e os acusados. Após levar a pistola, o grupo fugiu a bordo de um carro roubado, que foi abandonado depois pela quadrilha.