Jeremoabo: Homem é preso após matar professor a golpes de facão e roubar vítima


Um professor de 47 anos foi morto com golpes de facão em Jeremoabo, no nordeste baiano. A vítima, Edilson Teixeira de Sá, teve a casa invadida, e o suspeito ainda roubou uma quantia de R$ 20 mil e uma motocicleta antes de fugir do local. Conforme a Delegacia Territorial, até o momento, a linha de investigação é de latrocínio [roubo seguido de morte]. O corpo foi descoberto após vizinhos da vítima acionarem a Polícia sobre a existência de um corpo devido ao mau cheiro. O fato ocorreu no último dia 15 de novembro. Ainda segundo a Delegacia Territorial, o acusado, identificado como Dionatan de Oliveira, foi preso nesta quarta-feira (22) em Juazeiro, no Sertão do São Francisco. O acusado deve ser deslocado para o presídio de Paulo Afonso, na mesma região de Jeremoabo. 

População brasileira é formada basicamente de pardos e brancos, mostra IBGE


A Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios Contínua (Pnad Contínua) 2016, divulgada hoje (24) pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), revela que, no critério de declaração de cor ou raça, a maior parte da população brasileira residente é parda: são 95,9 milhões de pessoas, representando 46,7% do total. Em 2012, início da Pnad Contínua, esse percentual era 45,3%. O contingente de cor branca representava 44,2% do total populacional do país em 2016, com 90,9 milhões de pessoas. Em 2012, esse índice era de 46,6%. Mais 8,2% se declararam de cor preta, um total de 16,8 milhões de pessoas, no ano passado. Em 2012, eram 7,4%. Entre as grandes regiões do país, 76,8% da população do Sul se declaravam branca, 18,7%, parda e 3,8%, preta. Na Região Norte, 72,3% da população eram parda, 19,5%, branca e 7%, preta. Na Região Sudeste, a que tem a maior proporção de população residente, 52,2% disseram ser brancos, 37,6%, pardos e 9%, pretos. No Brasil, no ano passado, a população residente foi estimada em 205,5 milhões de pessoas. Em 2012, eram 198,7 milhões, uma variação de 3,4%. A Região Sudeste concentrava 42% da população e registrou aumento de 3,1% em quatro anos. Em relação ao sexo, as mulheres representavam 51,5% da população residente e os homens, 48,5%, não sendo observada alteração nesses percentuais entre 2012 e 2016, segundo o IBGE. Em 2012, o grupo de pessoas com 60 anos ou mais de idade correspondia a 12,8% da população. Em 2016, esse percentual subiu para 14,4%, evidenciando o envelhecimento dos brasileiros. Por outro lado, a parcela de crianças de 0 a 9 anos na população residente passou de 14,1% para 12,9% nesse período.

Deputado ironiza Imbassahy durante sessão: Éprassaí!


O ministro da Secretaria de Governo, Antônio Imbassahy (PSDB-BA) foi ironizado durante sessão na Câmara na última quarta-feira, 22. De acordo com a Folha de S. Paulo, o deputado Sílvio Costa (Avante-PE) discursou contra as articulações do governo para tentar aprovar a nova Previdência e fez provocações sobre a reforma ministerial. A fala ocorreu em meio às especulações na base governista a respeito da demissão do ministro. Costa aproveitou a polêmica: “O governo está feito macaco em casa de louça, quebrando tudo! O centrão mudou até nome de ministro… Passou de Imbassahy para Éprassaí!”.

PF diz saber origem da fortuna encontrada em bunker de Geddel Vieira Lima


Os investigadores da Polícia Federal que prenderam o ex-ministro Geddel Vieira Lima (PMDB) depois que foi encontrado um bunker numa rua da Graça com R$ 51 milhões, uma verdadeira fortuna, dizem já ter indícios suficientes para identificar a origem da grana. Os recursos seriam provenientes de repasses do doleiro Lúcio Funaro, que afirmou ter repassado R$ 20 milhões a Geddel, de desvios de políticos do PMDB, do chamado “quadrilhão” do qual faria parte o presidente Michel Temer, da Odebrecht e dos ex-assessores da família que eram empregados em cargos públicos, como na Câmara dos Deputados. Por este motivo, a Procuradoria Geral da República pediu a manutenção da prisão de Geddel. Com informações do Bom Dia Brasil, da Rede Globo.

Políticos reagem à aprovação a Luciano Huck


A divulgação nesta quinta-feira, 23, do Barômetro Político Estadão-Ipsos que aponta alta na aprovação pessoal do apresentador de TV Luciano Huck provocou imediata reação no meio político e entre pré-candidatos à Presidência. Analistas e cientistas políticos avaliam, entretanto, que a alta aprovação da imagem não necessariamente significa conversão em intenção de votos e que, caso tenha a intenção de que isso aconteça, o apresentador teria de se movimentar mais explicitamente no cenário eleitoral. No meio político, a reação mais explícita foi na forma de provocação feita pelo ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, que tenta viabilizar sua candidatura pelo PT enquanto aguarda julgamentos da Operação Lava Jato. Em entrevista a uma rádio, Lula disse que tudo o que mais deseja na vida é “disputar (a eleição) com alguém com o logotipo da Globo na testa”. A mesma frase foi publicada no Twitter do petista. O senador Cristovam Buarque (PPS-DF), que também já externou a intenção de se candidatar à Presidência, minimizou o resultado. “Se colocarmos os nomes do Faustão, Fernanda Montenegro e de atores de novela, acho que também teriam aprovação desse tipo”, disse. Para ele, um candidato tem de estar “carregado” de proposta e bagagem política. “Fica difícil responder sobre o nome do Huck porque não sei qual é a proposta dele para o Brasil”. Potencial candidato à Presidência pelo PSDB, o governador de São Paulo, Geraldo Alckmin, disse, durante visita a Barra Bonita, que novas lideranças na política, como Huck, “são positivas”. “A pior política é a omissão. Não sei se ele será candidato (a presidente), mas se puder participar de alguma forma, ganha o País e a sociedade”, afirmou. O Barômetro Político Estadão-Ipsos mostrou significativa melhora na imagem do apresentador nos últimos dois meses. A aprovação ao nome de Huck registrou salto de 17 pontos porcentuais desde setembro, passando de 43% para 60% no mês seguinte. Já a desaprovação caiu de 40% para 32% no mesmo período. O cientista político Rodrigo Augusto Prando, professor da Universidade Presbiteriana Mackenzie, ressaltou que os números não significam consolidação de eleitores que votariam em Huck, uma vez que a pergunta do levantamento é: “Agora vou ler alguns nomes e gostaria de saber se o senhor (a) aprova ou desaprova a maneira como eles vem atuando no País”. Para o professor, a pesquisa revela o alto porcentual de entrevistados aprovando a atuação de Huck como apresentador da maior rede de televisão brasileira. “Isso pode, em breve, se converter em votos? A resposta, aqui, não é tão simples, pois a variável ainda importante no cenário para 2018 é se Lula será ou não candidato”, disse. Leia mais no Estadão.

Com Bolsonaro, Patriota quer eleger 10 deputados


Nanico no Congresso Nacional, o Patriota pretende eleger pelo menos 10 deputado federais, segundo a Folha.

A publicação diz ainda que, dos três parlamentares que tem hoje na Câmara, o partido deve manter apenas um. A recém-filiação de Bolsonaro será o principal ativo para a atração de novos quadros.