Saída de cubanos poderá deixar 611 cidades sem médicos


Segundo o presidente do Conasems, profissionais de Cuba foram os únicos a aceitar trabalhar em unidades de saúde que ficam em cidades mais isoladas ou pobres

Após a saída dos 8,3 mil médicos cubanos que fazem parte do programa Mais Médicos, pelo menos 611 cidades brasileiras podem ficar sem médicos a partir de 2019. A estimativa é do Conselho Nacional das Secretarias Municipais de Saúde (Conasems).

Foto: Reprodução

De acordo com o presidente da entidade, Mauro Junqueira, os médicos cubanos foram os únicos a aceitar trabalhar em unidades de saúde que ficam em cidades mais distantes, isoladas ou pobres do Brasil. Para ele, dificilmente vai ser possível substituir todos os profissionais dessas regiões, considerando que os médicos brasileiros têm preferência por trabalhar nos grandes centros urbanos. Os profissionais cubanos representam 90% dos médicos que aceitaram atuar em aldeias indígenas por meio do programa.

“Algumas regiões provavelmente ficarão sem médico por um período entre 60 e 90 dias. Tudo vai depender da rapidez do Ministério da Saúde para contratar os substitutos. O Conselho Federal de Medicina assegura que há médicos disponíveis no Brasil. Vamos rezar para que todos se inscrevam”, afirmou Junqueira, ao jornal O Estado de S. Paulo.

Na sexta (16), a Defensoria Pública da União apresentou um recurso à Justiça Federal para obrigar o governo a manter as regras atuais do programa. De acordo com o Ministério da Saúde, um edital será lançado ainda neste mês para contratação de médicos brasileiros e de outros países.

Metro1

 

Bahia é o 2° estado que mais perderá médicos cubanos do Mais Médicos


A Bahia e São Paulo têm o maior número de médicos cubanos atuando pelo programa Mais Médicos e, por isso, são os estados que mais perderão profissionais com o fim acordo entre o Brasil e Cuba. O governo cubano anunciou, na última quarta-feira (14), a retirada do programa nesta, citando “referências diretas, depreciativas e ameaçadoras” feitas pelo presidente eleito Jair Bolsonaro à presença dos cubanos no Brasil.

Foto: Reprodução / Mais Médicos

Em agosto, ainda em campanha, o capitão reformado declarou que “expulsaria” os médicos cubanos do Brasil com base no exame de revalidação de diploma, o Revalida. A promessa também estava em seu plano de governo Enquanto São Paulo apresenta 1394 cubanos atuando na saúde do estado, a Bahia conta com 822 profissionais.

De acordo com o G1, não necessariamente os paulistas e os baianos deverão sofrer mais com o fim do programa: estados do Norte e Nordeste já apresentam uma menor quantidade de médicos pelo Sistema Único de Saúde, um dos motivos da criação do programa em 2013.

Bahia Notícias

Moro quer Erika Marena em ministério e deve levar outros delegados da PF


Moro disse a interlocutores que vai convidar para seu time no ministério delegados que atuaram em vários casos e não apenas na Lava Jato

Foto: Antônio Cruz/Agência Brasil

O juiz Sérgio Moro, próximo ministro da Justiça e da Segurança Pública, deve levar delegados da Polícia Federal para a sua pasta. De acordo com a coluna Estadão, um dos nomes mais cotados é o de Erika Marena, superintendente em Sergipe, e Luciano Flores, comandante da organização no Mato Grosso.

Já na PF, o delegado Igor de Paula, que comanda a Lava Jato no Paraná, é cotado para assumir a superintendência no Estado ou a diretoria de combate ao crime organizado, em Brasília. Para a diretoria-geral da PF, a aposta é no atual superintendente da corporação em Curitiba, Maurício Valeixo. Ele e Moro são amigos de longa data.

Moro disse a interlocutores que vai convidar para seu time no ministério delegados que atuaram em vários casos e não apenas na Lava Jato. Na segunda-feira, ele fará uma reunião para definir outros nomes na sua equipe.

Metro1

Mais Médicos: Mourão diz que Bolsonaro libertou oito milhões de escravos


Vice-presidente eleito usou o Twitter para falar sobre saída dos cubanos

Vice-presidente eleito,  o general Hamilton Mourão (PRTB) usou o Twitter para falar sobre a saída dos cubanos do programa Mais Médicos, na quinta-feira (15). Na publicação, ele diz que o presidente eleito, Jair Bolsonaro (PSL), “libertou 8 mil cubanos da escravidão”.


“No futuro, quando Cuba for livre, os livros contarão a história do homem que libertou 8 mil cubanos da escravidão: Jair Bolsonaro, o Justo”, diz a publicação.

Bahia.ba

Homem dá facada no peito da esposa e a mata em Feira de Santana


O crime ocorreu dentro da residência do casal, no bairro Campo Limpo

Uma mulher de 35 anos foi morta com golpes de faca pelo próprio companheiro na cidade de Feira de Santana, a 109 quilômetros de Salvador, na madrugada desta sexta-feira (16), por volta das 0h14, na residência onde morava com o marido, no bairro Campo Limpo. Sem nenhum motivo aparente, Rosângela dos Santos foi surpreendida com uma facada no peito.

A vítima foi socorrida para unidade de saúde George Américo, mas não resistiu aos ferimentos. O autor do crime não teve o nome divulgado.

A delegada Bianca Torres fez o levantamento cadavérico e irá investigar o caso.

Varela Notícias

Temer alerta equipe de Bolsonaro para o impacto de altos salários dos servidores


O presidente Michel Temer chamou a atenção dos integrantes do governo de transição do presidente eleito, Jair Bolsonaro (PSL), para o impacto de altos salários sobre a folha de pagamento do funcionalismo federal.

Foto: Reprodução / EBC

A atual equipe recomendou a adequação da remuneração do serviço público à praticada pelo setor privado, além de adiar, para 2020, os reajustes programados para 2019. De acordo com a Folha de S. Paulo, as medidas tem como objetivo conter o crescimento das remunerações dos servidores nos próximos anos. Nas contas do governo, o aumento dos salários do funcionalismo custará só no próximo ano R$ 4,7 bilhões aos cofres públicos.

Bahia Notícias