Em propaganda, PMDB ataca ‘trama’ para tirar Temer do poder


Na série de filmes gravados para a propaganda partidária do PMDB que começarão a ser veiculados a partir da noite desta quinta-feira. 16, o partido escolheu atacar a “trama” que supostamente foi armada para tirar o presidente Michel Temer do poder. Além de, pelo menos, 11 vídeos de 30 segundos que estarão em inserções diárias, o partido também trará o mote que a trama foi vencida, no programa do dia 28, que terá dez minutos de duração. Nas inserções que começam a ser veiculadas nesta quinta, o presidente aparece em uma delas, reforçando a ideia de que tentaram tirá-lo do poder, envolvendo-o em uma trama mentirosa. Sem citar diretamente os delatores da JBS e nem o ex-procurador-geral Rodrigo Janot, o presidente diz que “a verdade é libertadora”. “E não só nos livra das injustiças como nos dá ainda mais força de vontade e coragem para seguir em frente, é isso que vamos fazer com muita convicção, porque agora é avançar”, afirma ele, reforçando o slogan do governo federal. Este vídeo de 30 segundos começa com uma narradora afirmando que “entre todas as perseguições feitas contra o presidente Temer houve uma que foi além, ultrapassou dos limites. A trama foi desmontada, a verdade venceu”. Há outro vídeo que ataca mais diretamente a “trama” que o PMDB argumenta ter sido montada contra Temer. A peça começa com uma reportagem da revista Veja, com a foto de Janot e a frase de Joesley Batista “eles querem f…. o PMDB”. A reportagem destaca o áudio de Joesley Batista em que ele diz que Janot queria ser presidente da República. “Nada nem ninguém pode acabar com 50 anos de história, cinco décadas de luta, meio século de conquistas, mais que um partido, somos uma força, um ideal, um movimento que faz o Brasil seguir em frente”, diz o narrador. Há também um vídeo que relembra a historia do partido e destaca que “o movimento” que consta na sigla PMDB agora é pelas reformas.

Raquel Dodge apresenta denúncia contra ministro do TSE por agressão contra mulher


A Procuradoria-Geral da República (PGR) denunciou o ministro Admar Gonzaga, do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), pelo crime de lesão corporal contra a sua mulher. Segundo informações do jornal O Globo, a procuradora-geral da República, Raquel Dodge, protocolou a denúncia nesta terça-feira (14). A mulher do ministro, Élida Souza Matos, fez a acusação em junho deste ano (veja mais). No boletim de ocorrência, ela relata ter sido chamada de “prostituta” e “vagabunda” e que Admar jogou enxaguante bucal sobre seu corpo. O documento aponta ainda que o olho direito dela apresentava inchaço e roxidão. O caso tramita no Supremo Tribunal Federal (STF), já que Gonzaga possui foro privilegiado por ser ministro do TSE. A relatoria é de Celso de Melllo, ministro do STF. Na época da acusação, Admar disse que o episódio aconteceu durante uma crise de ciúmes da mulher, depois que ela consumiu álcool. Segundo ele, Élida ficou com o olho roxo após escorregar em Listerine derramado e bater contra a banheira. O ministro do TSE admitiu ter empurrado a mulher, mas alegou que isso aconteceu por defesa própria.

Veleiro de regata Jacques Vabre está à deriva na região do Conde; Marinha faz buscas


O veleiro ‘Prince de Bretagne’ está à deriva na altura da Barra do Itariri, na cidade do Conde, ao norte de Salvador, desde a tarde desta quarta-feira (15). A embarcação participa da 13ª Regata Transat Jacques Vabre, que saiu da cidade francesa de Le Havre com destino a Salvador. De acordo com o G1, o veleiro de uma dupla de franceses está com problemas no mastro e no motor. A Marinha do Brasil faz buscas no mar para encontrar o veleiro. Por volta das 19h30 de quarta, o navio-patrulha ‘Guaratuba’ saiu da Base Naval de Aratu para localizar e prestar socorro à embarcação. Ainda não há informações sobre a localização do veleiro.

MP da reforma trabalhista proíbe seguro-desemprego para trabalhador intermitente


A medida provisória que regulamenta alguns itens da reforma trabalhista na última terça-feira (14) proíbe que trabalhadores contratados em caráter intermitente tenham acesso ao seguro-desemprego. O texto original da reforma prevê ainda que são necessários 18 meses para migração de um contrato tradicional para um de caráter intermitente, mas a MP define que essa regra só valerá até 2020. Daí em diante será possível demitir e recontratar imediatamente. O texto enviado à Câmara também muda a concessão de benefícios, como o salário-maternidade. Atualmente, é pago integralmente pelo empregador, que depois faz um tipo de compensação com o governo. Para o intermitente, o benefício deverá ser pago pelo Estado. Já o auxílio-doença será todo pago pela Previdência, diferentemente do funcionário comum, que recebe o benefício do empregador nos 15 primeiros dias de afastamento. A MP altera ainda as regras para grávidas e lactantes, que deverão ser afastadas de atividades insalubres durante a gestação, mas autoriza atuação em locais com insalubridade em grau médio ou mínimo mediante atestado de autorização; e a contribuição previdenciária, segundo o qual o empregador deve fazer o recolhimento das contribuições previdenciárias, inclusive do trabalhador, e depósito do FGTS com base no valor pago no mês ao trabalhador intermitente. Aqueles que receberem menos de um salário mínimo deverm complementar o recoclhimento do INSS para ter direito a benefícios da Previdência Social. Quanto a dano moral, o parâmetro para pagamento de indenização chega a 50 vezes o teto do INSS, R$ 5.531,31.

Jaguaquara: Cinco morrem quando grupo tentava matar traficantes rivais


Cinco homens morreram em uma ação policial em Jaguaquara, no Vale do Jiquiriçá, na noite desta quarta-feira (15). Segundo a Polícia, o fato ocorreu na Rua Tosta Lima, no bairro Ceará, quando um grupo – da qual fazia parte os suspeitos mortos – preparava um ataque contra uma facção criminosa rival. Uma denúncia anônima levou policiais da Companhia Independente de Policiamento Especializado/Central ao local. Segundo o comandante da Cipe/Central, major Fábio Rodrigo de Melo Oliveira, os oito homens que estavam em uma Topic reagiram à abordagem, o que deu início ao tiroteio. Na ação, cinco foram atingidos e não resistiram aos ferimentos. O jovem Rodrigo Moreira Calista, de 18 anos, é o único identificado até o momento. Na ação, cinco revólveres – três calibre 38 e dois 32 – foram apreendidos. “Se houvesse a invasão ia sobrar para envolvidos e inocentes, inclusive mulheres e crianças, quem estivesse próximo aos desafetos deles”, disse o major. Policiais atuam ainda na região na busca pelos demais integrantes da quadrilha, que também é responsável por outros crimes na região do Vale do Jiquiriçá, além do tráfico.