Aniversario de São Paulo , mas o presente quem ganha é o povo. Veja porque


Os paulistanos já podem ir preparando o bolso para a facada que virá na próxima conta de energia.

É isso mesmo, o aniversário da cidade de São Paulo, comemorado ontem (25), pode ter trazido muitas alegrias momentâneas, mas não é isso que importa de verdade.

Informações divulgadas pelo grupo IET (Imposto Escondido em Tudo), trouxeram uma notícia nada agradável nessa terça-feira.

O bolo feito para comemorar o aniversário da capital, que custou caro aos cofres públicos, será cobrado com uma taxa extra na conta de energia dos cidadãos.

O informante do grupo, que não quis ter o nome divulgado, informou para nós do Hora 7 que a taxa a ser acrescida será de 15% e está abaixo da inflação. Portanto, eles ainda têm a cara de pau de alegar que estão cobrando pouco.

— Tínhamos que dar um jeito de reaver o dinheiro gasto para alimentar todo o povão que atacou o bolo como se não tivesse comida em casa. O único jeito era embutir o imposto em alguma conta de maneira discreta, mas isso será apenas no mês de fevereiro.

Contudo, caros paulistanos, essa informação deixa muito claro que nada é de graça nessa vida! A taxa prometida para o mês de fevereiro não terá destaque na conta de luz.

É necessário que cada um observe a diferença e compare os valores com as contas anteriores para conseguir chegar a soma total do imposto embutido.

Chuva de Raios em Vitória da Conquista


Foto3-2

Uma tempestade atingiu a cidade de Vitória da Conquista (a 541 km de Salvador) durante este domingo, 6. Aliado com a chuva, raios e trovões assustaram os moradores.

De acordo com o Blog do Anderson, o Corpo de Bombeiros informou que um dos raios provocou um princípio de incêndio no Distrito Industrial dos Imborés. Ninguém ficou ferido.

A imagem registrada por um morador do município mostra o exato momento que vários raios caíram no solo de Conquista.

Traficante é morto após invadir casa e manter mulher e criança reféns


Um grupo ateou fogo em um ônibus, por volta das 8h desta terça-feira (26), na cidade de Pindorama, distrito de Porto Seguro. De acordo com a delegada Valéria Chagas, coordenadora da 23ª Coordenadoria de Polícia do Interior (Coorpin/Eunápolis), a ação foi realizada pelo bando do traficante Marvison Paula Gomes, o Marzinho.Com cinco mandados de prisão, sendo um deles referente à morte do soldado da Polícia Militar Denisson Rodrigues Sampaio, 31, Marvinho estava sendo perseguido pela Polícia Militar desde as 4h da manhã.

Durante a fuga, ele invadiu algumas casas. Em uma delas, por volta das 8h, manteve refém uma mulher de 23 anos e uma criança de quatro anos. Cercado pela PM, Marvinho, então, entrou em contato com comparsas e determinou que ateassem fogo no ônibus para desviar a atenção da polícia.

Ainda de acordo coma delegada Chagas, após a negociação entre a polícia e o criminoso resultar na liberação dos reféns, Marzinho atirou na PM, que revidou e baleou o traficante, integrante da facção Mercado, Povo e Atitude (MPA). Marzinho não resistiu e morreu no local da troca de tiros.

Lava Jato se aproxima de Lula, diz líder do PPS na Câmara


O líder do PPS na Câmara dos Deputados, Rubens Bueno (PR)

Para o líder do PPS na Câmara dos Deputados, Rubens Bueno (PR), a nova etapa da Operação Lava Jato fecha o cerco contra o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva. Em nota, o parlamentar diz que neste cenário, resta ao petista elevar a retórica para atacar os investigadores.  “A Polícia Federal já está na vizinhança de um dos principais chefes da organização criminosa que assaltou não só a Petrobras, mas diversas empresas públicas do País. Com a investigação contra os seus filhos e outra sobre a evolução de seu patrimônio pessoal, Lula partiu para o ataque. Mas a ação de hoje mostra que a Justiça, o Ministério Público e a Polícia Federal não se intimidaram”, afirmou Bueno. A Polícia Federal incluiu o tríplex 164-A, que seria da família do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, no Edifício Solaris, no Guarujá, litoral Sul de São Paulo, no rol de imóveis com “alto grau de suspeita quanto à sua real titularidade” sob investigação na Operação Triplo X – 22ª fase da Lava Jato – deflagrada na manhã desta quarta. Ao avaliar mais uma etapa da Operação Lava Jato, o líder do PPS disse acreditar que as investigações trarão mais novidades neste ano. “Trata-se de um esquema de corrupção tão sofisticado e amplo que teremos novos episódios que podem sacudir ainda mais a política brasileira”, previu o deputado. Estadão Conteúdo

Pastor acusado de matar pastora e prima em Vitória da Conquista é preso


ad8cb443_oO pastor Edimar da Silva Brito, 36 anos, acusado de ser o mentor do assassinato da pastora e professora da Uneb Marcilene Oliveira Sampaio, 38, e de sua prima Ana Cristina Santos Sampaio, 37, foi preso nesta terça-feira (26), no distrito de Ibitupan, município de Ibicuí, no Centro-Sul do estado.

De acordo com o delegado Marcus Vinicius de Morais Oliveira, da 10ª Coordenadoria de Polícia do Interior (Coorpin/Vitória da Conquista), foram 20 horas de diligências e a polícia percorreu 835 quilômetros até encontrar o foragido. Segundo a polícia, Edimar não resistiu ao cerco policial e se entregou na presença do seu advogado.

Nove policiais civis lotados em Vitória da Conquista e Itapetinga participaram da ação.

Adriano Silva dos Santos, 36, e Fabio de Jesus Santos, 34, já haviam sido presos por participação no crime. Os dois confirmaram que o assassinato foi planejado e executado pelo pastor Edimar.

 

Justiça diz que Messi sabia de fraude fiscal e o inclui em processo


Lionel Messi

A Justiça espanhola não acreditou na versão de que Lionel Messi desconhecia a fraude fiscal cometida pelo pai, Jorge Horacio, e manteve a decisão de denunciar o meia no processo de evasão. A informação foi divulgada pelo jornal El País, da Espanha. O astro da seleção argentina e do Barcelona, portanto, responde por três acusações de desvio de dinheiro. Em junho, Messi havia sido considerado inocente no processo de evasão fiscal, tendo a promotoria entendido que o jogador “desconhecia qualquer prática ilícita cometida pelo pai, Jorge Horácio” e que Messi não teve “nenhuma intervenção” no crime.

A promotoria chegou a pedir que o caso fosse arquivado contra Messi. Mas em nova decisão da Justiça, foi sustentado que Messi “consentiu com a criação e manutenção de uma estrutura fictícia, que tinha como único objetivo descumprir as obrigações fiscais”.

Messi e pai são acusados de não terem declarado à Receita espanhola  o valor de 4,1 milhões de euros (cerca de R$ 12 milhões). Messi depositou em juízo o valor da dívida, com juros e correção monetária, totalizando 5 milhões de euros. Mas o Tribunal considerou irrelevante.