Ponto de Vista: O que de fato aconteceu com Milton do Bode?


Pense em um homem trabalhador?  Esse é Milton do Bode.

Tudo bem meu patrão?  Era desta forma que Milton abordava seus clientes, já agradecendo antecipadamente a visita à seu restaurante.

Comerciante estabelecido no cruzamento do Silva Jardim com a margem da Linha do Barreiro, ponto esse que no início dos anos 2000, era local em que muita gente inclusive da alta sociedade freqüentavam, sempre no intuito de saborear a carne do animal o qual era o seu “sobre nome”.  Além do bode outros tipos de carnes sempre acompanhado com um delicioso feijão tropeiro e outros alimentos.

Sua esposa na época dividia os trabalhos com ele, e sempre estava ou na cozinha ou no caixa.

Brincalhão de sotaque bem nordestino, Milton servia bem a todos, e ao mesmo tempo freqüentava as mesas do seu restaurante, para saber como estava o atendimento, e claro a qualidade dos pratos que eram servidos.

Os negócios estavam indo de “vento em polpa”, e além do restaurante passou também a comercializar cerveja em atacado, aluguéis de mesas e freezer para eventos, o local também se tornou casa se shows.

Época de São João era tradição as festas no restaurante de Milton, artistas de toda região a exemplo de Chiquinho forro pesado, Birão do Acordeon, Zé Duarte e outros se revezavam nos eventos.

Me lembro bem que Milton tinha um garçom, que era menor de idade o qual logo se transformou em seu braço direito.  O menino tinha uma agilidade danada na hora de atender, e assim como seu patrão também circulava nas mesas procurando saber se os clientes estavam bem servidos, todos diziam a Milton que aquele menino ia longe.

Em um certo domingo o garoto de pré nome Jacson, pegou uma moto e com toda a adrenalina da juventude acabou se chocando contra uma parede, na mesma rua do restaurante indo a óbito.  Milton ficou muito abalado com o acontecimento.

De temperamento forte, Milton sempre estava se desentendendo com a esposa e a separação não demorou a chegar.

Junto com ela veio também o declínio nos negócios, começava ai o calvário daquele que dominou a gastronomia popular por mais de 10 anos.

Milton acabou se desfazendo do ponto, por conta de dívidas adquiridas e desse período em diante só acumulou problemas.

Freqüentador da Digital FM onde gozava da amizade de seus apresentadores, Milton sempre estava na rádio divulgando eventos na esperança de se reerguer.  Sempre tendo a frente à culinária nordestina era também adepto do uso do “jaleco de couro” , sua segunda pele.

Muita gente dizia que Milton estaria com problemas mentais, e que precisava de tratamento, muita gente “dizia”, mas ninguém nunca se prontificou a ajudá-lo ou ao mesmo tempo levar uma palavra de conforto.

Na ultima sexta feira dia 10, Milton mais uma vez esteve na Digital onde em entrevista ao apresentador Ailton Borges, convidou a população para a inauguração do seu mais novo estabelecimento, a Casa do Zé do Bode.

Na manhã de domingo a notícia que pegou a todos de surpresa.  Milton teria agredido uma senhora de 51 anos estando agora preso à disposição da justiça.

Não sou psiquiatra muito menos psicólogo, mas que ele não esta bem das faculdades mentais isso não está mesmo.

Milton poderia ter vários problemas, mas não me recordo de ter chegado ao meu conhecimento que ele teria agredido alguma mulher.

Lamentável o que ocorreu com este cidadão, fica aqui também a nossa solidariedade a senhora que foi espancada por ele.

Por Marcus Aragão

Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Aragão Notícias.
É vedada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O Aragão Notícias pode até retirar, sem prévia notificação, comentários ofensivos e com xingamentos e que não respeitem os critérios impostos neste aviso.